MIRITA NANDI

Thursday, September 22, 2005

DELE
sou dele, toda
e me faz botija revirada de todos os manjares.
PRESENTE
sou sua drupa
e destroça tudo com voraz virilidade
dentro de mim.
PRESENTE II
Sou feliz com seu poema fálico
entre as minhas pernas.

Tuesday, September 20, 2005

MINIMOUTROS


CATAVENTO

Eu & você:
catavento
no vento da vida
a girar.


BANDEJA

O meu desejo pegando fogo
e eu sou sua comida de bandeja.


IMANÊNCIA
para Luiz Alberto Machado

Você:
verbo encarnado do deus
imanente
no meu sexo.

Friday, September 16, 2005


Gente,
olha porque eu sou fã e perdidamente apaixonada por este homem:
ARDÊNCIA
Letra & Música de Luiz Alberto Machado
Que seja como for
a chama desse fogo ardendo o nosso amor
no vício do prazer
me deixe exangue
e lânguido a te querer
a te querer demais
a te querer demais
e desfaleço com o tempo
que o vento isento
me traz o tormento
a hostil solidão a te procurar
e vem teu corpo e revigora
a pureza do tom
do teu dom de tocar
se acercar dos meus sonhos
meu corpo, desejos
lampejo seduz
meu afã
minha estrela manhã
amuleto de luz
meu talismã
esperança de vida
que traz escondida no teu olhar
e a tua voz a me embalar
nos segredos vadios
nas nuvens lençóis com furor
nos mistérios sedentos
que invadem ardentes
e saciam o amor
é novo dia
é a mais rara poesia
que descubro a cada via
do teu corpo a me roçar
vem num átimo de um novo beijo
e eu recolho o teu sobejo
cada nervo é uma folia
a cada perna a se enroscar
ritual do tempo
e o firmamento a confundir-se em céus
em gemidos sensuais
luas ânsia e bocas tão iguais
refazem o nosso amor
nosso amor.
© Luiz Alberto Machado. Direitos reservados. In: Primeira Reunião. Recife: Bagaço, 1992.
Por esta razão abri uma comunidade no Orkut em homenagem para este maravilhoso poeta:

Thursday, September 15, 2005

* MÍNIMOS
(preliminares)
exorcismo
choro, de quatro.
ele macho, lindo, rijo,
exorcizando meus demônios.
doce
o sabor dele
na minha boca.
paraíso
lá vem ele aceso & indomável.
e eu rendida, esquartejada nele.